Café verde

10-11-2013
Descoberta recentemente, a iguaria brasileira já começou a ser comercializada com sucesso, inclusive no exterior, onde pesquisas para o desenvolvimento da produção estão sendo feitas. Também pudera… Melhor absorvido pelo corpo, ele possui quase três vezes mais polifenóis que o café comum, substância que ajuda na luta contra os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento das células. Além disso, suas propriedades antioxidantes têm eficácia comprovada cientificamente e ainda ajudam a combater os efeitos da radiação ultravioleta. O fruto verde, que não passa de um grão de café que ainda não foi torrado, é muito mais do que a matéria-prima da bebida mais apreciada no mundo. Seus derivados representam importantes componentes que atuam no fígado e ajudam a induzir a ação da enzima GST encarregada da desintoxicação do organismo, como o cafestol, por exemplo. Em apenas um grão de café verde pode-se encontrar mais de 19 minerais, 17 aminoácidos e vitaminas. Isso sem contar a presença de ômega 6 e as vitaminas essenciais do Complexo B. Por causa de sua enorme concentração de cafeína, os gastos energéticos são elevados sensivelmente e junto a uma alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos regulares, acaba contribuindo para o tão sonhado “quilinho” a menos. Outro benefício atribuído ao café verde é a quantidade de antioxidantes, que chega a ser de três a cinco vezes maior. A cafeína, além de atuar como um termogênico natural, melhorando o metabolismo e favorecendo a perda de peso, também atua inibindo as adenosinas, que são as substâncias responsáveis por induzir o sono e, assim, promover um maior estado de atenção. Além disso, promove a oxidação de gorduras corporais e facilita a sua eliminação. Já o ácido clorogênico presente no café verde em concentração duas vezes maior do que a encontrada no café torrado, diminui a absorção de glicose a nível intestinal e participa no metabolismo dos açúcares inibindo a enzima glicose-6-fosfatase, que é responsável pela liberação de açúcares do fígado para a corrente sanguínea. Essa inibição mantém os níveis baixos de glicose e diminui o acúmulo de gordura, já que açúcar em excesso é transformado em gordura. Por sua ação no metabolismo da glicose o café verde também pode ser um coadjuvante no tratamento de pacientes diabéticos. Cuidados especiais: gestantes, mulheres que amamentam, crianças e pessoas que sofram de ansiedade ou nervosismo, hipertireoidismo, gastrite crônica e úlceras duodenais, devem evitar seu uso. Consulte seu médico.