Coisas do outono – Soluções naturais para seu tratamento

04-05-2017
inicio-do-outono

Nessa época do ano raras pessoas ficam livres de certos sintomas desagradáveis, sobretudo se não fizerem uma boa prevenção para fortalecer o organismo ou se ficarem demasiadamente expostas a situações que favorecem esses quadros como choques térmicos ao sair do banho, alimentação inadequada, ambientes fechados, aglomerações, exposição ao vento, banho muito quente, entre outros.

De maneira geral os problemas mais comuns nesse período são:

Gripe: a melhor maneira de conter a gripe evitando que um quadro simples se transforme em infecções mais graves como sinusite, otite e até mesmo pneumonia, é combatê-la logo no início, quando surgem os primeiros sinais como coriza, indisposição e dores pelo corpo. Esse combate pode ser feito com medicamentos totalmente naturais.

Febre: ela é sempre um mecanismo de defesa do organismo contra vírus e bactérias. Pode-se controlá-la com banhos mornos. Quando tal medida é insuficiente, funcionam como bons antitérmicos os chás de sabugueiro e camomila, ou os glóbulos de Belladona.

Tosse: A tosse é um mecanismo reflexo do organismo para eliminar as secreções de muco ou corpos estranhos presentes no sistema respiratório, ajudando a limpar as vias aéreas e a proteger o organismo de doenças e lesões. Para facilitar a expectoração e aliviar a tosse, conte com a ajuda dos méis compostos e dos xaropes formulados com plantas medicinais. Dos méis compostos os mais indicados são os que combinam as propriedades do mel, do própolis e plantas como agrião, o eucalipto, o guaco e o assa peixe. Aumentar o consumo de água é também muito útil.

Garganta: nos casos de inflamação da garganta consegue-se rápido alívio com o uso de sprays à base de mel, própolis e ervas medicinais ou balas de própolis e gengibre.

Rinite: processo inflamatório da mucosa nasal, que pode ser alérgico ou produzido por vírus, fungos, bactérias, e devido a poluição atmosférica. Segundo sua gravidade é classificada como aguda simples, hipertrófica, atrófica ou alérgica. A rinite alérgica é a manifestação mais comum, caracterizando-se por espirros, abundante secreção aquosa e tumefação da mucosa nasal, que pode ser acompanhada por coceira nos olhos e por lacrimejamento.

A sinusite é a inflamação da mucosa dos seios da face, que são espaços existentes entre os ossos da face e que em geral se comunicam com a mucosa nasal através de pequenos canais. Pode ser aguda ou crônica, sendo na fase aguda há dor, cefaleia, pontos dolorosos e fluxo nasal purulento, geralmente unilateral. São diversas as causas desse tipo de inflamação.

Para os casos de rinite e sinusite recomendamos  medicamentos homeopáticos.

Obstrução nasal:  é comum o nariz sangrar a até formar pequenas feridas doloridas. O uso de um produto à base de própolis e calêndula é ideal para limpar as narinas e hidratá-las.

Lábios rachados: o hábito de umedecermos constantemente os lábios, passando a língua, somado ao frio e ao vento faz com que esses fiquem ressecados e rachados. Evite isso não passando a língua e usando hidratante labial a base de vitamina A, vitamina E, alfa bisabolol.
Pele ressecada:  ar seco, vento, banho demorado e excessivamente quente além de sabonetes alcalinos ressecam nossa pele provocando coceiras, e deixando-a com aparência desagradável. Para evitar é necessário redobrar a hidratação e a nutrição usando os práticos óleos pós banho, aplicados ainda em baixo do chuveiro ou cremes hidratantes.

Informe-se na sua farmácia de manipulação quais são os produtos mais adequados para você se prevenir e passar um Outono/Inverno com muita saúde e tranquilidade.