Depressão, Ansiedade, Pânico, Fobias, podem ser curados!

18-10-2015
emdr

EMDR, sigla em inglês que significa Eye Movement Desensitization and Reprocessing (Dessensibilização e Reprocessamento através de Movimentos Oculares). Trata-se de uma técnica de psicoterapia relativamente nova projetada pelos psicólogos para reduzir traumas, ansiedade, sintomas depressivos ou para melhorar o funcionamento global de saúde mental.

Promove a ativação de mecanismos de cura do cérebro através da estimulação sensorial bilateral (ocular, auditiva e/ou tátil).

Este tratamento só poderá ser aplicado por um psicoterapeuta certificado em EMDR.

EMDR é um trabalho complexo que exige o conhecimento da história clínica do paciente, desenvolvimento de uma relação empática terapeuta/cliente e a preparação do paciente para o EMDR em si. Os movimentos são realizados em conjunto com a psicoterapia, para ajudar o cliente a integrar os traumas processados. O processamento acelerado de informações propiciado pelo EMDR é feito de forma particular, ou seja, cada um irá processar suas associações, baseada em sua experiência pessoal e seus valores. Os estímulos bilaterais são repetidos até que a lembrança deixe de ser perturbadora e possa ser associada a pensamentos e crenças pessoais mais positivas.

Os exercícios são repetidos até que o cliente não relate mais nenhuma angústia emocional.

Através do processamento de informação adaptável, a atenção dual-exercícios irá trabalhar   a memória traumática armazenada do paciente e irá permitir a eliminação de crenças negativas, emoções e sintomas somáticos associados à memória, facilitando a   conexão com nova informação mais adaptável armazenados nas redes de memória.Uma vez que lembre do trauma não provocará crenças negativas, emoções ou sintomas somáticos e, simultaneamente, a memória se desloca para um conjunto mais adaptativa de crenças, emoções e respostas somáticas, armazenando novamente mas agora substituindo a memória original do trauma.

O número de sessões varia de acordo com a complexidade do trauma a ser tratado.  

É aplicada em:

  • Transtorno de Estresse pós-Traumático
  • Sintomas de ansiedade
  • Sintomas de depressão
  • Funcionamento global de saúde mental
  • Melhor desempenho pessoal, acadêmico e profissional

BSP ou Brainspoting é uma ferramenta neurobiológica que tem a finalidade de apoiar a relação clínica de cura e permite localizar, enfocar, processar e liberar neurologicamente experiências e sintomas fora do alcance da mente consciente e de suas capacidades verbais e cognitivas.

Esta técnica de apoio na relação clínica terapêutica auxilia o profissional na identificação, processamento e liberação de fontes neuropsicológicas de dor física/emocional, trauma, dissociação e uma variedade de outros sintomas desafiadores. Trabalha com o cérebro profundo e o corpo por meio de acesso direto aos sistemas límbico e autônomo. Por consequência, BSP é um enfoque fisiológico com conseqüências psicológicas.

Brainspoting é uma técnica psicoterapêutica estruturada neurobiologicamente e que parece acessar o hemisfério direito, os sistemas límbico e autônomo. Tem como meta acessar as capacidades de auto cura do indivíduo.

O cérebro profundo controla todas as funções corporais, é a sede do instinto, do pensamento, da criatividade e da parte espiritual. Quando encontramos um Brainspot (um ponto no cérebro), o cérebro profundo sinaliza, reflexa e inconscientemente, ao terapeuta que algo importante foi encontrado além da percepção da mente consciente.

Para maiores informações participe da palestra com Vera Maria Rezende de Paula, dia 22 de outubro no salão da AICITA. Confirmar presença pelo telefone (11) 4524-2763