Envelhecimento ou Longevidade

29-12-2016
longevidade

Entende-se como envelhecimento uma série de alterações que vão ocorrendo no organismo ao longo do tempo vivido.

Este processo provoca mudanças nas funções e estrutura do corpo e o torna mais suscetível a uma série de fatores prejudiciais, estes podem ser tanto internos como externos.

Internos

Nosso corpo é composto por aproximadamente 75 trilhões de células, e estas, excetuando-se as musculoesqueléticas e os neurônios, multiplicam-se constantemente.

À medida que as células se dividem (processo conhecido como mitose), seus telômeros (sequências de DNA) vão sendo encurtados. Após muitos ciclos de divisão, eles desaparecem até que, finalmente, as células perdem sua capacidade de renovação.

A partir do momento que as células não se dividem mais, elas envelhecem, perdem por completo suas funções e morrem.

Há ainda outras teorias sobre as causas internas de envelhecimento, entre elas estão: a ação da glicose dentro do organismo, a ação dos radicais livres, falhas imunológicas, etc.

Externos

Com relação aos fatores externos, os mais conhecidos por agredirem o organismo e acelerarem o processo de envelhecimento são: poluição ambiental, fumo, álcool, exposição exagerado às radiações solares, etc.

Independente da causa sabe-se que o envelhecimento não está vinculado unicamente a quantidade de anos que o indivíduo viveu, mas também a perda de suas funções orgânicas.

Não menos importante do que tudo isso, é entendermos que a maior parte destas alterações está estreitamente relacionada ao modo de como este tempo foi vivido.

Ninguém viveu mais do que Jeanne Calment, que faleceu com 122 anos e 164 dias. Conta-se que o advogado francês André-François Raffray pensou ter fechado um excelente negócio com Jeanne Calment, uma velhinha de 90 anos que contava ter vendido pincéis a Van Gogh e presenciado a construção da Torre Eiffel nos anos 1880. Em 1965, Raffray propôs pagar a Jeanne uma quantia mensal até o final da vida dela. Em troca, após sua morte, o confortável apartamento de Jeanne, no centro da cidade de Arles, no sul da França, se tornaria propriedade de Raffray. Jeanne já passara duas décadas da expectativa de vida dos franceses para a época, e sua morte parecia uma questão de (pouco) tempo. O montante que Raffray teria de desembolsar até lá não chegaria perto do valor real do imóvel. O acordo parecia um negócio e tanto para o advogado. Isso se Jeanne não tivesse vivido até os 122 anos! Ela morreu em 1997 – dois anos depois de Raffray. Ele, que viveu até os 77, nunca chegou a ser proprietário do apartamento (apesar de ter pagado, durante 30 anos, quase o dobro do valor de mercado). “Na vida, às vezes fazemos maus negócios”, disse Jeanne em seu aniversário de 120 anos, poucos meses antes da morte de Raffray.

O envelhecimento é um fator imutável, porém a longevidade depende de um bom gerenciamento da nossa vida.

Estudos comprovam que para viver mais e com saúde, existe algo mais importante que a genética, condições ambientais e um acompanhamento médico regular. É importante saber que a nossa longevidade depende dos nossos hábitos de vida.

Quaisquer que sejam seus objetivos de vida, saiba que você precisa estar vivo e principalmente se sentir vivo. Acontece que de pouco vai adiantar se você estiver vivo, mas não puder contar com o corpo e, sobretudo, com a mente funcionando para conquistar um bom desempenho do conjunto.

Fica claro que, para toda pessoa funcionar e produzir plenamente, é necessário que ocorra uma condição básica, que é a sinergia entre o corpo e mente. Este equilíbrio é fundamental para a manutenção do equilíbrio do organismo e por consequência da longevidade saudável.

Procure manter os seguintes hábitos:

  • Beba água de uma em uma hora, pois a maior parte do seu corpo é feita de água (2-3 litros/dia).
  • Alimente-se de três em três horas. Você é o que você come!
  • Coma alimentos saudáveis, evite industrializados e faça uso de fibras 2x ao dia para manter a saúde do seu intestino.
  • Pratique exercícios pelo menos 3x por semana por mais de 30 minutos.
  • Cuide do seu sono, pois neste momento seu organismo se recupera para o próximo dia.
  • Reduza o stress: planeje-se, foque na resolução dos problemas e não faça tempestade em copo d’água.
  • Mantenha postura positiva e proativa.
  • Evite excessos e intoxicações.
  • Exponha-se ao bom Sol, para que seu organismo fabrique vitamina D.
  • Consulte com regularidade os profissionais de saúde adequados.

“O que nos ajuda mais a conservar e manter a nossa força é o fato de sermos amados; e o que se lhe opõe mais é o fato de termos medo. O medo é mau guarda da nossa longevidade; a benevolência, pelo contrário, é fiel e dura até à eternidade”. Marcus Cícero

 Desejo muita saúde e vida longa aos queridos leitores!