Magnésio, o regente da orquestra dos minerais

16-11-2016
magnesio

Dentre tantos minerais necessários para o bom funcionamento do corpo humano, um deles é de enorme importância: o magnésio. Se todos os minerais juntos fossem uma orquestra de longe este seria o maestro de todos os outros.

O magnésio é uma descoberta fulminante da década de 1980, não é considerado remédio, mas sim alimento essencial para a vida. O magnésio controla 18 minerais e tem aproximadamente 300 funções.

Está comprovado cientificamente que a grande maioria dos seres humanos apresenta carência do elemento MAGNÉSIO no organismo, sendo este muito importante para a nossa saúde.

O stress, a idade, drogas, bebidas alcoólicas, fumo, alimentação deficiente podem levar a uma carência cada vez maior resultando em complicações como artrose, problemas reumáticos, arritmias, infarto e problemas circulatórios.

De acordo com instituições nacionais e internacionais, a dose diária de MAGNÉSIO recomendada é de 300mg/dia e isso não se consegue somente com a alimentação comum.

O MAGNÉSIO é o 2º elemento mais abundante nos líquidos celulares e é encontrado também nos ossos, músculos esqueléticos e cardíacos, fígado e rins; sendo que atua diretamente em mais de 300 enzimas do nosso corpo e na síntese de ATP (energia). Isso se dá, pois, a deficiência deste elemento reflete numa demora do suprimento dessa energia (ATP), afetando todas as funções corporais associadas ao consumo deste, havendo decadência celular.

É confirmada a importância do MAGNÉSIO na estabilidade celular junto com o CÁLCIO, pois com a queda dos níveis de MAGNÉSIO no soro sangüíneo, maiores quantidades de CÁLCIO entram nas células promovendo constrição dos vasos sangüíneos, podendo ocasionar arritmias cardíacas pela saída de POTÁSSIO da célula.

Observando essa interação, as quantidades de CÁLCIO, POTÁSSIO, MAGNÉSIO E SÓDIO são fundamentais para o perfeito funcionamento das células.

O sistema circulatório melhora quando há uma suplementação correta do MAGNÉSIO, facilitando a regeneração celular, colaborando na prevenção de infartos, tromboses coronárias e cerebral.

Já conhecido na forma de sal, é também encontrado na forma de cápsulas.

 

Importância do Cloreto de Magnésio

     O magnésio produz o equilíbrio mineral, anima os órgãos e suas funções (catalizadoras), como os rins para eliminar o ácido úrico nas artroses. Descalcifica até as finas membranas nas articulações e as escleroses calcificadas, para evitar enfartes, purificando o sangue. Vitaliza o cérebro, desenvolve ou conserva a juventude, até alta idade.

     Depois dos 40 anos o organismo absorve sempre menos magnésio, produzindo velhice e doenças. Por isso deve ser tomado como preventivo conforme a idade:

a)      de 40 aos 55 anos – ½ dose diária.

b)      de 55 aos 70 anos – 1 dose pela manhã.

c)      de 70 aos 100 anos – 1 dose pela manhã e 1 dose à noite.

 O magnésio não é remédio, mas alimento sem contra-indicação, é compatível com qualquer medicamento simultâneo.

 Tomando as doses para uma doença só, as demais serão curadas ao mesmo tempo, porque o sal põe em ordem todo o corpo.

 Indicado para:  

a)      Bico de papagaio, nervo ciático, coluna, calcificação, surdez por calcificação: Tomar 1 dose pela manhã, 1 dose a tarde e 1 dose a noite. Quando curado, deve-se tomar o cloreto de magnésio como preventivo, isto é, conforme a idade.

b)      Artrose (o ácido úrico se deposita nas articulações do corpo, visivelmente nos dedos, até que incham, porque os rins estão falhando, por falta de magnésio: Tomar uma dose de manhã. Se em 20 dias não sentir melhoras e não reparar em anormalidades, tomar uma dose pela manhã e 1 dose à noite. Depois de curado, continuar com as doses como preventivo.

c)      Próstata: Tomar 2 doses de manhã, 2 doses à tarde e 2 doses à noite. Ao melhorar tomar como preventivo.

d)      Rigidez muscular, câimbras, tremor, artérias duras, falta de atividade cerebral: 1 dose de manhã, 1 dose à tarde e 1 dose à noite.

Na dieta as fontes de magnésio são: vegetais, nozes, frutas, legumes e grãos integrais (exceto o trigo).