Por que meu filho vai mal nos estudos?

06-06-2016
estudos

As mudanças que ocorrem na adolescência podem perturbar o desempenho intelectual e os fracassos escolares não são raros: a recusa em estudar e a queda do rendimento escolar estão frequentemente associados a estas mudanças. Comumente os professores escutam queixas de pais de adolescentes como estas: “Meu filho mudou! Ele que era tão bonzinho, tornou-se agressivo, não quer ouvir nada! Contesta tudo, acha que sempre tem razão!”.

É um momento crítico em que a criança sai da infância para entrar no mundo adulto e isso significa que deverá, de agora em diante, dirigir a sua vida, falar em seu próprio nome e fazer escolhas sexuais. É a famosa crise da adolescência, fonte de conflito e sofrimento tanto para os pais quanto para o próprio adolescente.

É um momento de separação:  a renúncia à segurança da infância e seu ambiente protetor. Precisa crescer e tornar-se adulto, mas a vontade de ir em frente e o medo do desconhecido se misturam. Essa contradição gera conflito e angústia e é difícil de ser vivida pelo adolescente. Suas atitudes tornam essa incoerência clara: ora brinca ou esperneia como uma criança, ora reivindica o direito de dirigir o carro do pai.

Para os pais o momento não é menos difícil, e compreender a razão das mudanças do filho não os ajuda a resolver a situação. O jovem pede liberdade, mas ao mesmo tempo deseja que os pais imponham limites, por mais paradoxal que isso possa parecer. O limite lhe dá segurança e, principalmente, permite a contestação, a revolta e a autoafirmação. Nessa idade, nada é pior do que pais bonzinhos, complacentes e permissivos que não se possa contrariar nem atacar! Os pais devem fazer o que acham certo, cobrar o que acham que tem que cobrar, sustentarem suas palavras e aguentarem “as pancadas”.

Há um desinteresse súbito pelos estudos nesta fase de transição, o jovem tenta romper com valores que acreditou até então, negam a inteligência, os estudos e o sucesso. Os pais sentem-se perdidos, há cobrança demasiada, angustias e atritos diários causando frustações assombrosas nos dois lados. Gera-se então, baixa autoestima do jovem e também dos pais (estado de incapacidade), e a falta delimites pode contribuir muitas vezes para enveredar o jovem ao caminho das drogas – jovem que não suporta frustação busca algo que a deixe aprazível.

Sendo assim, os pais sempre questionam: será que um dia isso irá passar? Qual será o caminho a seguir? Contudo, se você sempre faz a mesma coisa, vai obter sempre o mesmo resultado! E, nada mudará…

Para saber mais sobre o desempenho escolar nesta fase da adolescência e quais são as tomadas de atitudes para que o seu filho não perca o ano letivo, participe da palestra POR QUE MEU FILHO VAI MAL NOS ESTUDOS? Com a Professora Janet Erbst, Graduada em Letras e Pós-Graduada em: Gestão Escolar com Práticas Pedagógicas; e Pedagogia Hospitalar. Com formação em:A intervenção do Professor nas dificuldades de aprendizagem; A linguagem dos jovens na internet;Educação, escola e as relações de poder; A resolução construtiva dos conflitos entre alunos;Docência: humanização e trabalho; Práticas de Leitura e Produção de textos; e Técnicas de redação.

Dia 07 de Junho de 2016- Terça-feira – 19:30hs

Salão de cursos da AICITA

(Rua: Crescêncio da Silveira Pupo nº 75 Loja – Vila Cassaro)

Favor confirmar presença pelo telefone (11) 4524-2763 ou (11) 99423-7513 Solicitamos, se possível, 1 kg de arroz para doação.