Rins – Filtros do Corpo – Parte 1

29-09-2016
rim

Os Rins, do latim Rem e do grego Nephros, são dois órgãos (um par), com forma similar a 2 feijões, localizados na parte de trás do abdômen, e são a força motriz do sistema urinário.

Funcionando como filtros altamente seletivos são responsáveis por limpar o sangue das impurezas do corpo. Caso não funcionem corretamente, as impurezas se acumulam e a pessoa ficará intoxicada pela ureia e demais substâncias tóxicas que seu próprio metabolismo produz.

Mas, além da sua função vital de eliminar substâncias tóxicas, os rins também desempenham muitas outras funções, tais como:

  • Filtrar todos os líquidos corporais originando a urina e assim exercer cuja sua função principal que é de desintoxicação e excreção;
  •  Eliminar substâncias tóxicas do metabolismo, como por exemplo, a ureia e a creatinina.
  • Eliminar substâncias exógenas como medicações, antibióticos, aditivos químicos.
  • Manter o equilíbrio de eletrólitos no corpo humano, tais como sódio, potássio, cálcio, magnésio, fósforo, bicarbonato, hidrogênio, cloro e outros.
  • Regular o equilíbrio acidobásico.
  •  Regular a pressão e o volume de líquido corporal, retendo ou eliminando o excesso de água do organismo.
  • Regular a composição sanguínea de células vermelhas, sais minerais, hormônios, nutrientes e outros
  •  Regular a nutrição de ossos e dentes.
  • Atua como órgão produtor de hormônio.

Quando os rins falham, o primeiro sinal é percebido na urina. As idas ao banheiro para urinar, principalmente durante a noite, aumentam.

Quando os rins são insuficientes, não conseguem se desfazer dos fluídos extras, acumulando esses fluídos no corpo e causando inflamação nas pernas, tornozelos, mãos e rosto.

Os rins saudáveis produzem um hormônio chamado eritropoietina. Este hormônio é responsável pela produção dos glóbulos vermelhos, que são encarregados de transportar o oxigênio até o sangue. A medida que os órgãos renais falham a produção desse hormônio diminui, então, os músculos e a mente se cansam mais rápido do que o habitual.

Os dejetos do sangue são eliminados através dos rins. Quando eles não funcionam corretamente, acumulam na corrente sanguínea os dejetos dessa “intoxicação” podem causar coceiras fortes e também provocar dores nos músculos ou ossos.

Esses mesmos dejetos acumulados no sangue (que chamamos de uremia) fazem com que o sabor dos alimentos mude e provocam halitose. Alguns pacientes conseguem notar que já não gostam mais do sabor da comida ou que perdem peso porque não sentem mais vontade de comer como antes. O gosto na boca a qualquer momento do dia chega a ser asqueroso e escovar os dentes, fazer gargarejos, mascar chiclete, dentre outras opções buscadas nessa ocasião, não resolve o problema.

A dificuldade de respirar pode estar relacionada a uma falha nos pulmões, causada de duas formas diferentes. Primeiro, porque o fluído extra que o corpo não consegue eliminar é acumulado, também, nos pulmões, e segundo porque a anemia (falta de glóbulos vermelhos que transportam o oxigênio para o sangue) deixa o organismo debilitado, causando a falta de ar. Essa falta de ar é sentida sem que o paciente tenha se exercitado ou esforçado.

 

Algumas Enfermidades:

 

Infecção Urinária = O paciente se queixa de dor, ardência e urgência para urinar. O volume urinado torna-se pequeno e frequente, tanto de dia como de noite. A urina é turva e malcheirosa podendo surgir sangue no final da micção. Nos casos em que a infecção atingiu o rim, também surge febre, dor lombar e calafrios.

Cólica Renal- A cólica renal, com dor no flanco e costas é muito característica, quase sempre com sangue na urina e em certos casos pode haver eliminação de pedras.

Insuficiência Renal Aguda - É causada por uma agressão repentina ao rim, por falta de sangue ou pressão para formar urina, a principal característica e a ausência da urina.

Insuficiência Renal Crônica – Surge quando o rim sofre a ação de uma doença que deteriora irreversivelmente a função renal.

Tumores Renais-  O rim pode ser acometido de tumores benignos e malignos. E as queixas são de massas palpáveis no abdômen, dor, sangue na urina e obstrução urinaria.

COMO CUIDAR BEM DOS RINS

Pimentão vermelho - são uma boa opção para aqueles preocupados com a saúde dos rins, porque eles são pobres em potássio.

Gengibre contém compostos antioxidantes benéficos para a função renal. Tem também propriedades de limpeza, além de eliminar toxinas do sangue e rins, purificando-os.

Cúrcuma é rica em propriedades antissépticas e é usada para tratar muitas doenças. Tem propriedades anti-inflamatórias, por isso pode ajudar a prevenir e tratar a inflamação do rim e infecções renais. A cúrcuma pode ser utilizada em molhos, tempero para carnes e outros pratos.

Dente de leão bons para os rins, por serem um dos maiores diuréticos da natureza. Eles fortalecem os rins, limpando a retenção de água e acalma irritações no sistema urinário.

Água  fundamental para a eliminação de toxinas do organismo e também evita  a formação de pedras nos rins.