Você sabia que a pele do nosso corpo vive eliminando suas células mortas?

26-01-2017
caspa

Isso acontece para que a pele se renove e se mantenha sempre saudável. Essa troca, na maioria das vezes, é praticamente invisível aos nossos olhos. As células mortas caem da pele do nosso corpo e a gente nem vê.

O mesmo acontece com a pele que recobre a cabeça, o chamado couro cabeludo. Ela está sempre se renovando, mas dificilmente se vê.

Os problemas começam a aparecer quando o couro cabeludo é “atacado” de alguma maneira. Alguns produtos químicos, água muito quente, micróbios, alimentação inadequada, alta exposição ao calor e mesmo estresse físico ou psíquico podem causar o enfraquecimento da pele do couro cabeludo, deixando-a mais sensível e, portanto, mais sujeita descamações, dando origem à caspa.

Então, o que é a caspa?

Assim, a caspa é a eliminação em massa das células mortas do couro cabeludo em um período menor de tempo. O que acontece é que todas essas células mortas se juntam, tornando-se visíveis e formando o que a gente conhece como caspa e é preciso que o couro cabeludo esteja frágil para que a caspa se manifeste, forçando a pele a se renovar numa velocidade maior e gerando o acúmulo de células mortas.

Você sabia que existem diferentes tipos de caspa?

A caspa pode aparecer de duas formas diferentes dependendo das características do couro cabeludo. Aquela caspa composta por pontinhos brancos que ficam presos no cabelo ou evidentes em roupas escuras aparece em quem tem o couro cabeludo seco. Agora, quem tem o couro cabeludo oleoso é obrigado a conviver com a caspa em forma de placas de pele que ficam grudadas na cabeça por causa do excesso de sebo.

É por isso que, antes de encontrar o produto certo para o tratamento da caspa, é muito importante determinar qual é o seu tipo de couro cabeludo e cabelo. Quer saber como fazer isso? Então, preste atenção nas dicas abaixo:

  • Depois de lavar e secar os cabelos, separe quatro mechas de pontos diferentes da cabeça, sendo, de preferência, uma de cada lateral, uma da parte de trás e a outra da parte superior.
  • Com as pontas dos dedos, sinta a raiz do cabelo e verifique o que você sente: se estiver áspera, significa que seu cabelo é seco na raiz; se apresentar oleosidade, que pode ser vista por meio de um excesso de brilho nos dedos, significa que seu cabelo é oleoso na raiz; se estiver macia e sem oleosidade, seu cabelo é normal na raiz.
  • Prosseguindo, passe os dedos nas pontas dos cabelos: se elas estiverem ressecadas, é porque seu cabelo é seco nas pontas; se estiverem macias, sem ressecamento, é porque é normal nas pontas.

Com essa análise simples, já dá para conhecer melhor o seu cabelo, mas caso queira uma avaliação mais precisa, consulte seu cabeleireiro, esteticista ou dermatologista.

A rotina do uso de shampoos anticaspa dá um efeito de anti-inflamatório, nutre o couro cabeludo e hidrata os fios, sendo a melhor opção para evitar a descamação. Também é importante ter uma alimentação equilibrada, praticar exercícios rotineiramente, evitar banho muito quente e o uso excessivo de secadores próximos ao couro cabeludo.

Algumas medidas podem ajudar a diminuir e até eliminar de vez a caspa.

  • Lave os cabelos regularmente com shampoo anticaspa: isso vai ajudar a remover a sujeira e todos os resíduos que vão se acumulando, além de evitar a oleosidade excessiva;
  • Lave os cabelos com água morna e use produtos adequados ao seu tipo de cabelo;
  • Diminua a temperatura do secador e a frequência de uso de chapinhas;
  • Evite dormir com cabelos molhados e evitar abafar o couro cabeludo.